Saudades: História de Menina e Moça cover

Saudades: História de Menina e Moça

Bernardim Ribeiro (1482-1552)

1. 01 - Em que a donzela comeca a sua historia
2. 02 - Em que a donzela vae prosseguindo a sua historia
3. 03 - Da conta que a dona da a donzela de sua vinda aquela terra
4. 04 - Das palavras que a dona com a donzela passou
5. 05 - Do que Lamentor passou n'aquela parte onde foi aportar com a sua nau, e da batalha que teve com o cavaleiro da ponte, e do que mais lhe sucedeu
6. 06 - Em que se diz a razão por que o cavaleiro da ponte sustinha aquele passo, e de como sua irman ali veio ter
7. 07 - Como, depois de partida a irman do cavaleiro da ponte, por aprazer aquele lugar a Lamentor, ordenara fazer ali seu assento
8. 08 - De como a Belisa vieram em crescimento as dôres do parto, e, parindo uma criança, faleceu
9. 09 - Do pranto que Aonia fez pela morte de sua irman Belisa
10. 10 - De como Narbindel, vindo combater com o cavaleiro da ponte, vendo o pranto que se fazia na tenda de Lamentor, entrou dentro para o consolar
11. 11 - De como se deu sepultura ao corpo de Belisa, e do pranto que com ele fez Lamentor
12. 12 - Do que sucedeu ao cavaleiro, que saiu da tenda, vencido do parecer e formosura da senhora Aonia
13. 13 - Em que se diz quem fosse Cruelcia, e do que o cavaleiro passou com seu escudeiro
14. 14 - De como, partido o escudeiro do cavaleiro da tenda, entrou em pensamentos de como se apartaria dele, e mudaria o nome
15. 15 - De como Bimnarder soube de um servidor de Lamentor que este ordenava fazer ali uns paços, e do mais que lhe aconteceu com a sombra que lhe apareceu
16. 16 - De como, estando Bimnarder muito pensativo no que faria, viu de subito vir o seu cavalo fugindo d'uns lobos que o queriam matar
17. 17 - De como Bimnarder assentou vivenda com o maioral do gado, e do que a donzela passou com a dona em sua historia
18. 18 - Em que a ama da razao a donzela da cantiga de Bimnarder
19. 19 - De como conta a ama a senhora Aonia o que vira fazer ao pastor, acabada a cantiga
20. 20 - Da peleja que o touro do pastor teve com outro alheio, e de como o matou, a qual Aonia estava vendo do eirado
21. 21 - De que maneira Bimnarder se viu com Aonia
22. 22 - De como Bimnarder, estando na fresta da camara de Aonia, se pos devagar a ouvir a ama
23. 23 - Do singular conselho que deu a ama a senhora Aonia, pelo que suspeitou de seus amores
24. 24 - Em que se conta o mais que a ama passou com a senhora Aonia, acerca de Bimnarder
25. 25 - De como Bimnarder, pela fresta do aposento de Aonia, lhe falou
26. 26 - De como Bimnarder, estando na fresta de Aonia, adormeceu, e se lhe foram, por sonho, os pes, e caiu
27. 27 - De como a ama, sentindo de noite o estrondo da queda, o que sobre isso fez quando foi manhan
28. 28 - De como, estando da queda Bimnarder muito doente, Aonia buscou maneira por onde o fosse visitar
29. 29 - De como Lamentor casou Aonia com o filho d'um cavaleiro comarcao, e do que Enis aconselhou a Aonia que fizesse
30. 30 - De como Fileno, o marido de Aonia, desejoso de a ter em seu poder, a levou de casa de Lamentor muito acompanhada
31. 31 - Em que se diz da grande dor que sentiu Aonia em seu casamento

(*) Your listen progress will be continuously saved. Just bookmark and come back to this page and continue where you left off.

Summary

"Saudades" é o primeiro romance pastoril escrito em língua portuguesa. É também conhecido como "História de Menina e Moça' ou somente "Menina e Moça", em razão da primeira frase do livro: "Menina e moça me levaram de casa de minha mãe para muito longe". Publicado pela primeira vez em 1554, o romance é considerado o precursor do gênero bucólico em Portugal, e por isso tornou-se importante, mesmo que inacabado. A linguagem do romance, semelhante à dos árcades de um século depois e repleta de misticismo, é comparada à da Bíblia, nos cânticos e salmos. O texto agrega elementos das novelas de cavalaria, do romance pastoril e da novela sentimental. O enredo, contado sempre do ponto de vista feminino, desenvolve-se a partir de histórias intercaladas, ligadas todas pelo desencontro amoroso e pelo fatalismo do sofrimento. Quase nada se sabe da vida de seu autor, cujas obras se resumem a dois romances e um punhado de poemas, alguns dos quais constam do Cancioneiro Geral de Garcia e Resende. (Sumário por Leni)